BLOG Interativo.NET: TEÓLOGO COMPARA FUNK "BEIJINHO NO OMBRO" A "SABOR DE MEL" DE DAMARES. "Qualquer semelhança não é mera coincidência"

Palavra do dia

"Eis que DEUS é meu ajudador, o SENHOR é quem me sustenta a vida." (SALMO 54:4)


quarta-feira, 26 de março de 2014

TEÓLOGO COMPARA FUNK "BEIJINHO NO OMBRO" A "SABOR DE MEL" DE DAMARES. "Qualquer semelhança não é mera coincidência"



A funkeira Valeska Popozuda tem ocupado a grande mídia com a música “Beijinho no ombro”, que fala sobre demonstrar aos inimigos que com fé em Deus é possível superar dificuldades e inveja, além de vangloriar-se com as conquistas. Em 2008, a cantora Damares chegou ao topo da música pentecostal no Brasil com a conhecida “Sabor de Mel”, de temática semelhante.
Dentro desse contexto, o teólogo e blogueiro Yago Martins publicou um vídeo em sua página no Facebook fazendo a comparação entre as duas letras e afirmou que sua iniciativa era um alerta ao povo evangélico: “Um pequeno comparativo didático: qualquer semelhança não é mera coincidência. Pois mais cômica que seja a comparação e a apresentação da mesma, a intenção primária não é fazer rir, mas alertar a respeito de um ponto. Pensem nisso”, sugeriu aos internautas.
Posteriormente, o teólogo comentou o vídeo numa entrevista ao GPrime, e disse que a letra da música de Damares foge aos princípios básicos dos ensinamentos de Jesus: “Não falo de teologia acadêmica ou elucubrações profundas, mas até mesmo o sermão do monte ou os ‘Bê-á-bás’ da fé. Jesus disse: ‘Vocês ouviram o que foi dito: Ame o seu próximo e odeie o seu inimigo. Mas eu lhes digo: Amem os seus inimigos e orem por aqueles que os perseguem’ (Mateus 5:43-44). Como podemos ter uma igreja evangélica que ainda não conseguiu internalizar um dos princípios teológicos básicos da fé, que é o amor? Os púlpitos fracos que prometem bênçãos e vitórias criam um monstro que tem nome de cristianismo, mas está longe da religião de Jesus”, observou Yago.
O jovem teólogo acrescenta que a música “‘Sabor de Mel’ é uma teologia da vingança, onde a cantora conclama os crentes a desejarem o destaque a fim de tripudiar sobre os próprios inimigos”, e isso seria uma distorção dos princípios do Evangelho. “A canção deseja que os que não te ajudaram antes se arrependam disso por não terem conseguido o destaque que Deus te deu. Devemos amar aqueles que são nossos inimigos, e não desejar que eles ‘nos vejam por cima’”, acrescentou.
“Sabor de Mel”, composta por Agailton Silva, é uma das músicas gospel pentecostal que mais são alvo de críticas por parte dos teólogos em geral, que enxergam nela uma mensagem de incentivo à meritocracia, conquistas por esforço próprio e ameaças aos indiferentes, tornando-os “inimigos”.
“Existe certo tipo de sentimento de vitória sobre os inimigos que faz sentido e é até mesmo cristão. No Último Dia, os inimigos do Evangelho receberão a justa paga, e seremos vitoriosos sobre eles. Uma canção que celebra a vitória final sobre os inimigos da Cruz pode ser bíblica e fiel. Nem de longe é o que encontramos na canção de Damares, no entanto. Lá há nada mais que um ‘beijinho no ombro pras inimigas’, uma palavra de escárnio contra inimigos pessoais, o que é inadmissível”, pondera Martins.
Assista ao vídeo comparativo de “Beijinho no Ombro” e “Sabor de Mel”:

NOTA: Por incrível que pareça eu não estranhei esta notícia, pois posso observar isso quando ouço  música gospel, não digo todas, mas grande parte são músicas que carecem de fundamento bíblico e teológico. Existem no meio gospel cantores consagrados ao sucesso que se esquecem de louvar o CRIADOR  e em vez de entoarem canções de louvor, fazem de tudo no palco, menos louvar a DEUS. Dançam, gesticulam desconcertadamente ao som de uma música digna de ser tocada no show dos Rolling Stones, canções com ritmos mundanos, axé, Rock, forró e acredite se quiser, até funk gospel eu já ouvi. E no embalo de aberrações desta natureza o nome de DEUS é desonrado, rebaixado, pisoteado, desrespeitado e o culto prometido a DEUS passa muito longe de ser um culto de adoração constituindo-se em uma verdadeira festa carnal, onde o que importa é satisfazer o próprio sentido, (se a música não me agradar aos ouvidos, não receberei a benção). Ora! as pessoas louvam a DEUS por amor ou em troca de bençãos? O louvor a DEUS deve ser feito em troca de algum benefício? Quando eu louvo ao meu DEUS eu escolho os melhores hinos, com as melodias mais agradáveis para entoar em gratidão ao meu CRIADOR, pois é para isso que serve o louvor, para expressarmos gratidão a DEUS, adorarmos o SENHOR, simplesmente por gratidão, não para recebermos algo em troca, não para recebermos dons espirituais, cura ou qualquer benção, adoramos simplesmente por que Ele é o nosso CRIADOR e é digno de toda honra, toda glória e todo o louvor. Mas infelizmente o mercado da música gospel deixa muito a desejar quando a questão é adoração, músicas sem contexto bíblico e com desfalque teológico está tocando aos montes na igrejas e o pior, é que muitos líderes que se dizem "cheios do Espírito Santo" não se dão ao trabalho de sequer analisar o louvor e observar se ele serve para ser cantado pela congregação ou não. 
[Weverson Oliveira]

"Nem todo o que me diz: SENHOR, SENHOR! Entrará no reino dos Céus, mas  aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos Céus" (Mateus 7:21)

Mais matérias sobre música aqui e aqui 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...